O Pão do Céu e o Pão da Terra

Há pão do Céu, assim como há pão da Terra; há alimento para a alma, assim como o há para o corpo; o da alma permanece para a Vida Eterna .
Quem somente trabalha pelos manjares da Terra, não tem a comida do Céu; quem trabalha pela comida do Céu tem o pão da Terra e o pão que permanece para a Vida Eterna. Há muitas espécies de trabalho da mesma forma que há diversas qualidades de trabalhadores; trabalhos da Terra, trabalhos do Céu na Terra.
Aqueles jazem como túmulos bem ornados nas necrópoles, que desabam ao rugir das tempestades; os do Céu aparecem nas alturas, iluminados pelo fulgir dos astros e brilho das estrelas.
O que é da Terra, na Terra permanece; o que é do Céu, persiste na Vida Eterna.
No trabalho exclusivamente terreno, os membros cansam, o suor goteja, o cérebro se aniquila , a vida se extingue. No trabalho do Céu, a fronte se eleva, a alma se engrandece, o corpo se fortalece, a mente se aclara, e a vida se eterniza.
Quem só trabalha para o que é da Terra, trabalha para o que perece.
Quem trabalha para o que é do Céu, trabalha para o engrandecimento moral e espiritual de si próprio e de seus semelhantes, trabalha pela comida que permanece para a Vida Eterna. Há Trabalho e trabalho; assim como há Pão e pão; assim como há tesouros na Terra e Tesouros no Céu .
Quem vive do Espírito busca as coisas do Céu; quem vive da carne busca as coisas da Terra; a carne para nada serve, o Espírito é que continua a viver.
“Trabalhai, não pela comida que perece, mas sim pela comida que permanece para a Vida Eterna”.